Propostas de ação apresentadas pelo Sindijor Norte PR são contra obrigatoriedade do estágio e contra a modalidade EAD nos cursos de jornalismo.

A plenária do 38º Congresso Nacional dos Jornalistas da Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) aprovou propostas de ação apresentadas pelo Sindijor Norte PR, expressas durante a discussão das novas DCN (Diretrizes Curriculares Nacionais) para os Cursos de Jornalismo. O texto da primeira delas diz que a Fenaj e os sindicatos de jornalistas reiteram a posição contrária à implementação do estágio curricular como atividade obrigatória como prescrita pelas DCN para os Cursos de Jornalismo.

Entre os argumentos apresentados pelo sindicato constam que o estágio curricular pode ser remunerado, conforme legislação nacional, contudo isso acaba não acontecendo na maioria dos casos. A proposta de ação também apontou que o estágio curricular pode se tornar uma estratégia para substituição de mão de obra profissional, com exploração do estagiário.

Entre as ações a serem realizadas sobre esse assunto, a Fenaj, em parceria com entidades do campo acadêmico do jornalismo, realizará levantamento nacional sobre a implementação do estágio obrigatório nos cursos de jornalismo e promoverá seminário nacional de avaliação e construção de proposta encaminhada às autoridades competentes.

A Fenaj e os sindicatos de jornalistas também se posicionaram contra o ensino de jornalismo na modalidade EAD (Ensino à Distância). Entre os argumentos apresentados pelo Sindijor Norte PR está o fato de que o ensino à distância possui limitações inerentes à modalidade na formação profissional dos jornalistas para o trabalho em equipe de diversos produtos jornalísticos. A proposta considerou o fato de que, em muitos casos, cursos EAD ofertados tornaram-se apenas negócio mercadológico.

Vale destacar que atividades à distância (com recursos multimídia como a sala Moodle ou outro sistema online semelhante) na modalidade presencial não devem ser confundidas com EAD.

Durante a plenária do Congresso foi aprovada a proposta de ação para que a Fenaj elabore documento a ser discutido com as entidades do campo acadêmico de jornalismo, e encaminhado ao Ministério da Educação, com os fundamentos e justificativas para reivindicar o fim do ensino de jornalismo na modalidade EAD.

O 38º Congresso Nacional dos Jornalistas foi realizado pela Fenaj, em parceria com o Sindjorce (Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará), entre os dias 22 e 24 de agosto de 2019, em Fortaleza (CE). Com o tema central “Afirmar o Jornalismo e o papel dos Jornalistas: função social, viabilidade econômica e desafios da profissão”, o evento reuniu cerca de 400 participantes, com atividades no Teatro São José e no Hotel Sonata de Iracema.

Compartilhe: