Uma equipe da RIC TV Maringá foi ofendida e coagida por um funcionário de cargo comissionado da Prefeitura de Sarandi, região metropolitana de Maringá, na manhã desta quarta-feira (06).

A agressão ocorreu após o repórter Fábio Guillen e o repórter cinematográfico Rafael Silva entrevistarem o prefeito, Walter Volpato (PSDB), sobre a situação de uma escola municipal de Sarandi, arrasada por um temporal há um mês e sem condições de receber os estudantes para o início do ano letivo. A equipe estava gravando nesta escola e, ao ser informada de que o prefeito estava inaugurando outra instituição de ensino no município, deslocou-se até lá para ouvi-lo.

“Depois de entrevistarmos o prefeito, um funcionário dele quis impor uma fonte para a matéria. Dissemos que já tínhamos vários entrevistados, várias mães de estudantes, e então fomos xingados”, contou Silva. O funcionário em questão é o chefe do Departamento de Elétrica, Márcio Manoel. “Ele nos chamou de ‘lixo’, de ‘imprensa lixo’. Só porque não queríamos entrevistar a presidente da associação, que tem posicionamento pró-governo”, afirmou Fábio Guillen.

Enquanto ocorria a agressão, o prefeito se afastou do local e em nenhum momento questionou as atitudes de seu funcionário. A diretoria do Sindijor Norte PR entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Sarandi, mas não recebeu retorno até o momento.

O Sindicato dos Jornalistas do Norte do PR repudia veementemente qualquer tentativa de cerceamento e coação da atividade do profissional de imprensa. É necessário garantir a liberdade de escolha das fontes e evitar qualquer tipo de ofensa contra jornalistas por conta de sua atividade laboral. O exercício do jornalismo é essencial para o fortalecimento da democracia!

Compartilhe: